Associação Querubins visita Arena Minas durante a Copa Avianca

fotos-lnb-1

O domingo foi de jogos decisivos pela penúltima rodada da primeira fase da 1ª Copa Avianca na Arena Minas Tênis Clube. Nos três embates do dia, o destaque ficou para o clássico carioca entre Flamengo e Vasco, na segunda partida da rodada. Com um jogo bem disputado e de domínio dividido entre os tempos, a vitória por 93 a 83 dos cruzmaltinos foi o que menos importou para um grupo especial de torcedores que estavam presentes na arquibancada.
Cerca de 35 alunos da Associação Querubins que participam do Projeto Educa Esporte, iniciativa da Federação Mineira de Basketball e do Instituto MRV tiveram a oportunidade de assistir pela primeira vez a uma partida profissional de basquete. Os garotos acompanharam de muito perto o duelo entre rivais cariocas. Se em quadra as equipes se preparavam para a disputa do NBB, na torcida às crianças realizavam um sonho e deslumbravam um futuro dentro do esporte.
Todos os meninos praticam basquete dentro do projeto como forma de convivência e iniciação ao esporte. Também são oferecidos outras modalidades e projetos como futebol, música, culinária, línguas, entre outros. Porém, a preferência da garotada acaba sendo sempre o basquete.
Na partida de domingo, o olhar atento acompanhou um jogo de alta intensidade e nível técnico. O jovem Samuel Silva, de 12 anos, se mostrou impressionado pelo ritmo de jogo apresentado na partida. Foi a primeira vez que ele via de tão perto um duelo profissional e não demorou a perceber a diferença. “É puxado. É muito legal. O treino que eles fazem é muito avançado. É tudo muito rápido toda hora”, conta.
Entre um tempo e outro, a hora mais festejada do dia. Os garotos tiveram a oportunidade de participar de uma partida na própria quadra de jogo do ginásio do Minas. Dois mini-jogos, com duas equipes mistas de cinco jogadores cada uma animaram os colegas e torcedores no intervalo.
No primeiro jogo, os mais novos mostraram que estavam com a disposição apurada em aproveitar a chance de jogar numa quadra profissional. No segundo, o piso ajudou a elevar o nível da brincadeira, mostrando que os mais velhos estão em dia com os treinamentos pela agilidade demonstrada. No final, todos receberam os aplausos da torcida presente e puderam descansar comendo um lanche antes para acompanhar o final do duelo.
A aluna Franciele Santos, de 16 anos, gostou muito da experiência e saiu de quadra com a certeza de que basquete é o seu esporte preferido e que quer lutar pelo sonho de treinar profissionalmente: “Eu estou achando o nível deles muito difícil, mas gostei muito. Foi muito bom ter vindo e jogado na quadra deles. Ainda mais basquete que é o que eu mais gosto”, explicou a moça, que também treina futebol na Associação Querubins.
Ao final, o que já estava bom, ficou ainda melhor para a garotada. Os jogadores do Minas Tênis Clube, que se preparavam para enfrentar o Botafogo na partida seguinte, foram encontrar com os garotos para tirar fotos e conversar sobre basquete. Pouco depois, foi à vez de Giovannoni, destaque do Vasco da Gama na partida, ir cumprimentar os meninos e posar para uma foto de recordação, finalizando uma tarde perfeita para muitos deles. O domingo foi um dia de experiências únicas e de sonhos futuros para a vida de vários garotos.

Primeira turma

fotos-lnb-18

Na quinta-feira, as crianças do Projeto Educa Esporte também passaram pela mesma experiência assistindo de perto a partida entre Solar Cearense e Vasco da Gama, pela segunda rodada da Copa Avianca. No intervalo, também tiveram a oportunidade de disputar uma partida numa quadra profissional.
Já nesta segunda, será a vez dos atletas profissionais retribuírem a visita aos garotos, indo participar de um treinamento de basquete na sede da Associação Querubins.

Do projeto para as quadras profissionais

foto-do-lucas

Se para a grande maioria dos alunos assistir a um jogo profissional era uma experiência inédita, para um dos garotos em especial esse fato está se tornando cada vez mais corriqueiro em busca de um sonho.
Lucas Souza, de 14 anos, começou a jogar basquete no ano passado na Associação Querubins. Com um rápido destaque, ele hoje já atua nas categorias de base do Mackenzie Esporte Clube, tendo participado dos sete jogos que a equipe disputou no Campeonato Brasileiro da categoria desse ano.
Para quem há um ano ainda ingressava no esporte, a disputa de um campeonato tão importante se tornou um fato marcante na sua vida: “Foi realmente muito difícil. Eu ficava nervoso nos jogos porque nunca tinha passado por uma competição tão importante, nunca nem tinha imaginado isso. Mas aos poucos eu já fui me acostumando e crescendo nos treinamentos. Estou aprendendo muito, com estilos de jogos bem diferentes. É muito pesado. Agora treino todos os dias de 7 as 9, mas já descobri que é isso que eu mais gosto”.
Mesmo com o início do sucesso no basquete, Lucas não abandonou a Associação Querubins e continua frequentando o espaço e participando, inclusive, das outras atividades. Ele gosta de manter os amigos por lá e reconhece a importância que o os Querubins tiveram em tudo que está acontecendo na sua vida: “Foi lá que eu comecei. Se eu não tivesse aprendido o basquete no projeto, eu não estaria no Mackenzie. Eu acho legal ver os meninos jogarem desde cedo. Eu até me acho meio velho. Se eu tivesse começado antes, hoje eu já teria mais experiência e podia até estar indo mais longe”, conta.
Lucas participou com os colegas do jogo no intervalo e ainda brincou que todo mundo estava nervoso e não conseguiu jogar direito. A partida foi uma prévia do próximo objetivo do jovem atleta: chegar aos 16 e 17 anos em uma equipe de ponta como o Minas Tênis Clube, se preparando para começar a disputar o NBB entre os profissionais.

Projeto Educa Esporte

fotos-lnb-28

Desde março de 2016, Instituto MRV e FMB atuam em prol do desenvolvimento de crianças carentes de Belo Horizonte. A iniciativa, denominada projeto Educa Esporte, oferece, duas vezes por semana, aulas que promovem a iniciação esportiva aos jovens da Associação Querubins e do Espaço Criança Esperança de Belo Horizonte (ECE-BH)

Instituto MRV

Fundado em dezembro de 2014 pela MRV Engenharia, o Instituto MRV é uma organização sem fins lucrativos, responsável pelo gerenciamento de iniciativas de responsabilidade social. Sua missão é promover a transformação social do nosso país por meio da educação, principal alicerce para o desenvolvimento de uma nação, preparando cidadãos para a vida e formando os realizadores do futuro.

Associação Querubins

A Associação Querubins é uma entidade social, sem fins lucrativos, que atende cerca de 250 crianças e jovens da Vila Acaba Mundo e Aglomerado Santa Lúcia. A instituição oferece atividades artísticas, esportivas e pedagógicas gratuitas, com custos que ficam a cargo de projetos de incentivo fiscais, nos âmbitos municipal, estadual e federal, fundos de apoio à infância e adolescência, editais diversos e doações espontâneas.
Ao pé da Serra do Curral, em espaço de 10.000 m² cedido pela Mineração Lagoa Seca do Grupo Unitas, na Rua Correias 700, a Associação conta com sete salas de aula, sala de dança, sala multimeios, ginásio poliesportivo, cozinha-escola, laboratório de informática, biblioteca, horta orgânica e um estúdio de gravação, em fase de conclusão. É nesse espaço que são oferecidas oficinas de Danças Urbanas, Dança Afro, Dança Contemporânea, Circo, Artes Visuais, Percussão, Construção de instrumentos, vídeo e cinema, além das oficinas de apoio escolar, cultivo de horta orgânica e jardinagem, esportes, informática, curso de culinária para crianças e capacitação profissional para adultos (gastronomia e hospitalidade).

Espaço Criança Esperança de Belo Horizonte (ECE-BH)

É um projeto de ação social voltado para crianças, adolescentes, jovens e suas famílias que moram no Aglomerado da Serra, região centro-sul da capital mineira, e vivem em situações de exclusão social.
Realizado pela Rede Globo em parceria com a Unesco e tendo como parceiros locais a PUC Minas e a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, o Espaço Criança Esperança de Belo Horizonte atua desde 2003 no Aglomerado da Serra, como um espaço de referência na formação de educação e protagonismo para moradores do local.
Atendendo a crianças, adolescentes e jovens com idades entre 06 e 24 anos, o ECE-BH tem como principal objetivo contribuir para a formação humana de seus educandos, promovendo a inclusão social, o protagonismo juvenil e, principalmente, uma educação conscientizadora. O trabalho realizado no ECE-BH busca também o desenvolvimento humano nas dimensões escolares, familiares, comunitárias e da saúde, além da educação para o mundo do trabalho e do lazer.
Atualmente o Espaço Criança Esperança de Belo Horizonte atende a aproximadamente 1.000 crianças, adolescentes e jovens e realiza cerca de 9.000 atendimentos mensais em oficinas esportivas, culturais e educacionais.

Deixe seu comentário: